“Tenho o DIREITO a dizer NÃO!” – Semana Municipal de Prevenção e Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes chega às escolas de Alagoinhas

Foto: Roberto Fonseca No segundo dia da Semana Municipal de Prevenção e Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, promovida pela Secretaria de Assistência Social (SEMAS), foi realizada a Oficina “Tenho o DIREITO a dizer NÃO!”: protegendo Adolescentes do Abuso e Exploração Sexual. A atividade, realizada por meio do Programa Saúde na Escola, aconteceu na Escola Estadual Magalhães Neto, no CETEP, no Colégio Miguel Santos Fontes e no Colégio Estadual Maria José Basto. A diretora do Miguel Fontes Elionara Alves Guimarães falou sobre a importância da disseminação de informações sobre o tema no chão da escola, “sobretudo por causa do público-alvo, formado por estudantes do Ensino Fundamental II, suscetíveis ao abuso”. A vice-diretora Edilene Bahia complementou que a campanha aguça o cuidado de si e ressaltou o papel preponderante da Educação nesse combate, “no dia-a-dia a gente já faz isso, mas vir uma equipe de fora atrai ainda mais a atenção dos alunos”. Foto: Roberto Fonseca Durante a oficina, foi proferida a palestra “Faça Bonito, proteja nossas crianças e adolescentes”, pela Assistente Social Maristela Simões e pela psicóloga Elisângela Riso, ambas do CREAS. A coordenadora do PSE, Rita de Cássia, informou que “este tema continuará a ser tratado, durante todo o ano, nas escolas da Rede Municipal de Ensino”. A atividade foi acompanhada de perto pelos conselheiros tutelares do Colegiado I: Cintia Pires, Alexandre Espírito Santo, Simone Nascimento Lima, Ramon de Carvalho e Kricia Lanai. Foto: Roberto Fonseca O coordenador do Colegiado, Ramon Carvalho, explicou que, historicamente, o Conselho Tutelar tratava apenas das pautas onde os direitos já haviam sido violados. “Expandimos nossa percepção para que pudéssemos tratar a prevenção. Com esse intuito, a gente se soma ao trabalho desenvolvido pela SEMAS e com outras atividades que já realizamos, como o Conselho Tutelar nos bairros e nas escolas”. Ele ainda disse que o objetivo é descentralizar “a nossa atuação a fim de levar informação à comunidade, para que seja possível identificar essas situações de violação”. Segundo dados do Disk Denúncia, 70% dos casos de abuso sexual de crianças e adolescentes acontece dentro do seio da própria família. Segundo o conselheiro, nesses casos, são aplicadas medidas protetivas ou, até mesmo, acolhimento institucional. O que é violência sexual? É uma violação dos direitos sexuais ao envolver crianças e adolescentes em atividades sexuais impróprias a sua idade e desenvolvimento físico, psicológico e social. O abuso sexual: Normalmente praticado por uma pessoa com a qual a criança tem relação de confiança, na qual o menor é utilizado para a prática de qualquer ato de natureza sexual A exploração sexual: Utilização de crianças e adolescentes para fins sexuais mediados por lucro, objetos de valor ou outros elementos de troca. Como denunciar? -Disque 100 -Conselho Tutelar Colegiado I: (075) 3423 8385 -Conselho Tutelar Colegiado II: (075) 3423 5444 -CREAS: 3163 1017 -Delegacias especializadas ou comuns; -Polícia Militar, Polícia Federal ou Polícia Rodoviária Federal -Crimes da web: http://new.safernet.org.br/denuncie Fotos: Roberto Fonseca Foto: Roberto Fonseca

CONVERSATION

0 Post a Comment:

Postar um comentário