1° Sarau Manas, Monas e Manos discute machismo, lgbtfobia e fala de Saúde para jovens na praça Rui Barbosa

 


15 DE DEZEMBRO DE 2021, 20:40

Foto: Roberto Fonseca

“A praça é do povo, como o céu é do condor”, diria Castro Alves, em um de seus poemas. Assim esteve a praça Rui Barbosa na manhã desta quarta-feira (15), celebrando a diversidade durante o Sarau das Manas, Manos e Monas, realizado pela Prefeitura de Alagoinhas, por meio das secretárias de Saúde e Assistência Social, e com o apoio de uma emenda da vereadora Juci Cardoso e parceria da organização Ocupa Juventude.

Stands da SESAU foram montados, a fim de difundir informações, de maneira lúdica e dinâmica, a cerca de gravidez na adolescência, Infecções Sexualmente Transmisíveis, métodos contraceptivos e a relação da ansiedade com o uso excessivo das redes sociais. No palco principal, aconteceram apresentações musicais e um recital de poesia, mobilizando o público jovem e LGBTQIA+.

Foto: Roberto Fonseca

A abertura do evento foi feita pela bailarina e influenciadora digital Rivana Silva, que apresentou uma coreografia da música Pérola Negra. Para ela, o Sarau teve uma importância salutar, “porque, assim, a gente desmistifica muitas ideias que a população têm, para que as pessoas possam nos apoiar e quebrar esse preconceito que existe no mundo”.

Foto: Roberto Fonseca

O secretário interino de Assistência Social Rui Costa Brito falou sobre o esforço para realizar eventos nos quais não só o poder público possa falar, mas também a sociedade civil. Ele salientou que a SEMAS está à disposição na luta diária contra o machismo, o racismo e a lgbtfobia. “Não nos cabe mais espaços onde não podemos ser o que somos e o que acreditamos. Quando nos reunimos em praça pública para falar de um tema tão difícil de ser entendido queremos dizer que estamos juntos contra todo tipo de preconceito”.

Foto: Roberto Fonseca

A secretária de Saúde Laína Passos frisou a importância da intersetorialidade, “a SESAU e a SEMAS estão cada vez mais unidas por pautas tão importantes, com o objetivo de promovermos Saúde e Assitência à população, principalmente a essas minorias, que precisam ganhar visibilidade e garantir os direitos que possuem”.

Foto: Roberto Fonseca

O auxiliar de produção Jackson dos Santos Régis, homem trans, declarou que “muitos não têm oportunidade de ter esse contato com os espaços de Saúde, como em questão de hormônio, de ginecologista para homens trans que ainda têm órgãos femininos e mulheres trans também, para adaptar o corpo. Somos seres humanos, assim como todos”.

De acordo com a Coordenadora de Diversidade Social da SEMAS Luciana Santos Mendes, mulher trans, “a diversidade tem que ser para todos, então precisamos construir isso no espaço público, onde a população pode ter acesso porque informação é poder e transforma o mundo. O sarau é também um momento de confraternização e aproveitamos para discutir o machismo, a lgbtfobia e propagar o respeito às diversidades sociais”.


Fotos: Roberto Fonseca

 

CONVERSATION

0 Post a Comment:

Postar um comentário